quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Design de Proteses

Bem senhores, pode ser bizarro, mas é uma bela peça...


obra do designer Hans Alexander Huseklepp. Feito em Corian.
a protese permite movimentações mais amplas e para direções que o braço natural não conseguiria... segue a linha da protese utilizada por aquele corredor sem as duas pernas, que consegue bater até record de corrida.


Alguns amantes de design lusitanos já começaram a amputar o próprio braço...

fonte: engadget

5 comentários:

Valéria Fialho disse...

eu acho este um tópico muito interessante para discussão ...
até bem pouco tempo as próteses de membros tentavam imitar ao máximo a aparência dos órgãos e ficavam sempre longe da performance do membro perdido ... estas novas próteses tiram partido máximo da tecnologia e fogem completamente da "imitação" ... e conseguem , em muitos casos, inclusive superar a funcionalidade do membro ...
o desenho é lindo, indiscutivelmente ... mas realmente não tenho parâmetros para analisar a aceitação desta "estética" da máquina por qualquer usuário ... a própria foto do post mostra o típico estereótipo da garota antenada, fashion, segura de si e de seu corpo, etc ...
e embora galhofeira, a observação do Ranoya também lança outra questão : e se começarmos a trocar nossas pernas e braços molengas e que vivem doendo por qualquer coisa por peças muito mais funcionais ? ( isto é claro, levando em conta que a tecnologia e a medicina vão evoluir a tal ponto de minimizar totalmente os efeitos de rejeição, etc ...)
... uma área fascinete para o design ... e vocês, o que acham ?

Ranoya disse...

Valeria, eu acho que o hibridismo homem-máquina é inevitável; ele já está presente, e começou por dentro: marca-passos, transplantes de órgãos, e logo veremos também órgãos artificiais; o cilicone, a lipo-aspiração, os esteróides (me contaram que existe uma bomba que faz qualquer pessoa ganhar até 20Kg de massa muscular por mês sem grandes esforços!?), enfim, estas coisas já alteram a aparência exterior, mesmo funcionando no interior. Acho que para chegarmos a uma estética da protese ainda são necessários muitos anos, mas ela virá. No livro que irei lançar junto com o pessoal da USP (algum dia se a crise passar), escrevi sobre a virtualidade e a realidade aumentada: controlaremos um mundo ao nosso redor, seja ele o natural ou o artificial, através de pequenos implantes ligados ao cortex, e possivelmente, em um futuro bem distante, daremos a partida do carro, ou abriremos a porta de casa através de um terminal implantado na nossa própria mão (ou no caso do post, em uma mão biônica); o que veremos não será apenas a rua, a praça ou as casas... teremos implantado um pequeno projetor no fundo do olho que, conectado à "internet" buscará informações sobre cada objeto, cada pessoa, cada lugar, e as projetará sobre o que vemos, um mundo que não mais poderá ser chamado de real ou natural.

Acho que virá o dia que pessoas irão substituir membros de seus organismos (internos ou externos) por equipamentos mais eficientes, mais ágeis, mais fortes ou com mais recursos. Não há realmente uma diferença entre o que é natural e o que é artificial (tudo é feito de elementos da natureza, não?), e o ponto central em ser humano é estar livre das rédeas da natureza para poder mudá-la (ou mudar-nos).

serafini disse...

A prótese tem os dedos do NOTURNO!!!
Mas... Corian não é pesado demais?

Provavelmente pessoas comuns ainda reporão o braço perdido com algo mais próximo do membro retirado, mesmo que fique parecendo a mão do "Um Maluco no golf".

"Permite movimentações mais amplas". Finalmente vai conseguir morder o cotovelo.

serafini disse...

Agora lendo o comentário do Ranoya.

Posta aqui algo sobre o Argument reality.

Fico na dúvida se mesmo no futuro alguem vai querer um projetor nos fundos dos olhos (tirando os cegos). Uma lente de contato fácil de colocar e retirar, será muito mais simples e prático... Menos chance de levantar questões éticas, como: Com que idade pode se colocar um implante. (Tudo bem que hoje um traveco de 13 anos já pode cortar o Bilau)
Imagina também um implante no fundo dos olhos, sendo hackeado ou dando um BUG no windows, tipo BSOD... que maravilha! Assisti uma animação que brincava com isso.

Marcinho disse...

"Finalmente vai conseguir morder o cotovelo" hahaha...

Acho a idéia bacana e tb tenho minhas dúvidas sobre a questao da aceitacao. Com certeza, dá para discutir bastante sobre isso...

Mas tenho a impressao que mais do que a estética é essa movimentacao que incomoda mais, afinal, uma coisa é ver e reconhecer uma prótese, outra é ver alguém dobrando o braco para trás como se fosse muito natural.

Quanto às teorias ficcao-científica, acredito que a tecnologia pode avancar o quanto for, mas o ser humano continuará a ser o que é. Quem está "livre das rédeas da natureza"? Tudo bem, até o próximo tsunami... :)