quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Chuck Close

Bom, eu e Betão estamos meio sumidões ... mas sabe como é ... viajar é uma delícia, mas 21 dias desconectados de tudo cobram um certo preço quando você volta à ativa ... Aos poucos estamos retomando o ritmo normal de trabalho e, é claro, retomaremos nosso velho ritmo de postagens em breve ...
Falatório à parte, vamos ao que interessa ! ... Nada melhor do que conhecer o trabalho dos mestres de perto ... e em nossa passagem por NY vimos um milhão de coisas incríveis ... e como bem disse o Barriga era um festival de "UAU", "olha lá" ... pagando pau mesmo !
.
Um destes momentos com certeza foi quando vimos de perto os trabalhos do Chuck Close expostos no Metropolitan.Sempre fomos fissurados pelo cara ( e nossos alunos da Facamp com certeza vão se lembrar do exercício do JESUSMAMILO ... mas isto já é outra história) ...
"Ao vivo", de longe de perto ... e de bem pertinho ( porque é justamente neste jogo de percepção que o trabalho é genial) deu pra ver que o cara é "O CARA" ! Os quadros impressionam pelo tamanho, pela precisão , pela força das imagens e pelos milhares de "mini quadros" contidos em cada um deles ...

Enfim, de perder o fôlego ... e ainda por cima ele tem uma história ao mesmo tempo fascinante e trágica , pois no final dos anos 80 simplesmente perdeu parte de seus movimentos devido a um problema súbito e raríssimo na coluna. Após o "evento" (como ele mesmo gosta de chamar) se reinventou e se adaptou à nova condição e continuou a debulhar nos retratos hiper realistas que sempre foram sua praia.
Gênio é gênio ... nem o mais imponderável e inevitável dos fatos diminui sua força ...

E pra conhecer mais sobre o artista:
http://en.wikipedia.org/wiki/Chuck_Close

2 comentários:

Jaci Conigham disse...

Jesus Mamilo, nossa, foi no final do primeiro ano...

serafini disse...

Lembrando que como ele não se mexe pra pintar é o quadro que movimenta na frente dele.