quarta-feira, 30 de julho de 2008

quarta-feira feliz 012

hoje é dia de ler, pois o post de hoje não tem figuras.

esquentando a chapa para o nosso próximo ZOOCAST, "o que diabos é design?" quero apresentar a vocês o manifesto incompleto do designer canadense Bruce Mau escrito em 1998, e ainda muito atual. (não, ele não é um lord sith).
postei aqui uma versão que achei on-line num blog português, quem preferir a versão original é só ir no site do autor.
enjoy!

1. Deseja que os sucessos te modifiquem
Tens que desejar crescer. Crescer não é algo que te ocorre. Tu é que o produzes e tu é que o vives. Requisitos para crescer: - estar aberto a experimentar e desejar que os sucessos te modifiquem.

2. Esquece-te do bom
O bom é uma quantidade conhecida.
O bom é aquilo em que todos estamos de acordo. Crescer não é necessariamente ser bom. Crescer é explorar, o que nos pode ou não conduzir ao que que estamos procurando.
Se te prendes fortemente ao bom nunca terás um bom crescimento.

3. O Processo é mais importante que o resultado
Quando o resultado conduz ao processo só chegamos aonde já tinhamos estado. Se o processo conduz ao resultado, pode ser que não saibamos para onde vamos, mas saberemos que queremos chegar.

4. Ama as tuas experiências (como se ama a um filho feio)
A alegria é o mecanismo do crescimento. Explora a liberdade de interpretar os teus trabalhos como experiências perfeitas, tentativas, provas e erros. Aceita com calma e permite a ti próprio a alegria de te enganares todos os dias.

5. Aprofunda
Quanto mais aprofundas mais possibilidades terás em descobrir algo de valor.

6. Abre-te às contrariedades
A resposta errada é a resposta correcta na busca de uma verdade diferente.
Colecciona as respostas erradas como parte do processo. Pergunta coisas insólitas.

7. Studio / Estuda
Um studio é um lugar para estudar. Utiliza as necessidades da produção como um pretexto para estudar. Toda a gente sairá beneficiado.

8. Divaga
Interroga-te a ti próprio sem descanso. Explora à tua volta. Não faças juízos e retarda qualquer crítica.

9. Começa em qualquer parte
John Cage dizia que não saber aonde começar é uma forma de paralisia.
O seu conselho era: - começa por qualquer parte.


10. Toda a gente é um lider
O crescimento acontece. Quando acontece deixa-o emergir. Aprende a segui-lo quando tem sentido. Deixa que alguém o dirija.

11. Cultiva ideias. Publica aplicações
As ideias necessitam de um envolvimento dinâmico, fluido e generoso para se desenvolverem. As aplicações, por outro lado, beneficiam-se com rigor crítico. Produz grande quantidade de ideias para aplicá-las.

12. Mexe-te
O mercado em nosso redor tende a reafirmar o êxito. Resiste. Deixa que o erro e a mudança façam parte do teu trabalho.

13. Liberta-te
Liberta-te dos horários estabelecidos e oportunidades surpreendentes se apresentarão.

14. Não sejas Colegial
O colegial é como o medo conservador vestido de negro. Liberta-te de este tipo de limitações.

15. Pergunta coisas estúpidas
O crescimento funciona graças ao desejo e à inocência. Fixa-te na resposta, não na pergunta. Imagina poder aprender durante toda a tua vida com curiosidade de uma criança.

16. Colabora
O espaço entre pessoas que trabalham juntas, enche-se de conflitos, fricções, disputas, e um vasto potencial criativo.

17.
Está em branco intencionalmente. Deixa espaço para as ideias que porventura não tenhas tido e para as ideias dos outros.

18. Fica até tarde
Quando fostes longe de mais, tenhas trabalhado no duro e te encontras separado do resto do mundo, sucedem coisas estranhas.

19. Trabalha a metáfora
Qualquer coisa tem a capacidade de servir para algo mais do que aparenta. Trabalha nas suas possibilidades.

20. O tempo é genético
Hoje és o menino de ontem e o pai de amanhã. O trabalho que fazes hoje influirá no teu futuro. Tem cuidado em arriscar.

21. Repete-te
Se gostas volta a fazê-lo. Se não gostas volta a fazê-lo.

22. Constrói as tuas próprias ferramentas
Para poder construir peças únicas converte, as tuas ferramentas em híbridas. Inclusivamente as mais simples podem levar-te a novos caminhos de exploração. Recorda, as ferramentas aumentam as tuas capacidades, inclusivamente uma pequena ferramenta pode produzir grandes diferenças.

23. Apoia-te em alguém
Podes viajar mais longe levado pelas experiências positivas dos que estiveram antes de ti. Mas à nossa vista é muito melhor.

24. Cuidado com o software
O problema com o software é que toda a gente o tem.

25. Não limpes a tua mesa
Pela manhã podes encontrar algo que não viste à noite.

26. Não discutas
Não o faças. Não é bom para ti.

27. Lê só as páginas esquerdas
Marshall McLuhan disse-o. Diminuindo a informação deixamos lugar para o que chamamos nuestro “spaghetti”.

28. Cria novas palavras, extende o léxico
As novas situações pedem uma nova forma de pensar. O pensamento pede novas formas de expressão. A expressão gera novas situações.

29. A criatividade não depende dos acontecimentos
Esquece a tecnologia. Pensa com a mente.

30. Organização – Liberdade
As verdadeiras inovação em design ou em qualquer outro campo, sucedem-se dentro de um contexto. Este contexto deve ser alguma forma de empresa dirigida corposativamente. Frank Gehry, por exemplo foi capaz de realizar o Guggenheim de Bilbao porque o seu studio pode desenvolver o seu estudo dentro dos pressupostos. O mito da separação entre criativos e técnicos é o que Leonard Cohen chama um admirável artefacto do passado.

31. Não peças dinheiro emprestado
Uma vez mais, um conselho de Frank Ghery. Mantendo o controlo financeiro mantém-se o controlo criativo. Não é exactamente um princípio cientifico, mas é surpreendente o que custa mantê-lo, e quantos se tem saido mal da sua aplicação.

32. Escuta com atenção
Cada colaboração que entra e que sai da nossa órbita traz consigo um mundo mais estranho e complexo daquilo que nós poderiamos chegar a imaginar.
Ouvindo os detalhes e as subtilezas das suas necessidades, desejos ou ambições, reconhecemos o seu mundo do nosso.

33. Imita
Não te preocupes com ele. Procura chegar-te tanto quanto possas. Nunca o conseguirás de todo, e a diferença pode ser verdadeiramente notável.

34.Comete erros rapidamente
Não é uma ideia minha. Roubei-a. Creio que é de Andy Grove.

35. Faz diferente
Quando te esqueceres de palavras, faz como Ella (Fitzgerald): faz algo mais... não palavras.

36.Rasga-o, alarga-o, dobra-o, aperta-o, esquartaja-o, curva-o, molda-o.

37. Explora as margens
As grandes liberdades existem quando evitamos tratar de correr atrás da tecnologia. Não podemos encontrar as margens porque as temos debaixo dos pés. Trata de seguir, utilizando os velhos equipamentos, uns estão obsoletos para os ciclos económicos, mas ainda são potentes.

38. Pausas para café, passeios, de carro, descanso.
O crescimento só ocorre fora dos lugares aonde tentamos. Nos espaços intermédios – o que o Dr. Seuss chama “a sala de espera”. Hans Ulrich Obrist, um comissário de exposições de Paris, organizou uma conferência – as festas, encontros, comidas, recepções, as quais foram realizadas no aeroporto mas sem conferência. Parece que teve muito êxito e frutificou em numerosas colaborações.

39. Viaja
A largura de banda do mundo, é superior ao do teu televisor, à internet incluindo também todos os componentes que simulam por computador a tempo real, um ambiente totalmente interactivo e em 3D.

40. Evita os campos salta as valas
As fronteiras estritas e os regimes reguladores pretendem controlar a vida criativa livre. São, com frequência, esforços incomprensíveis para controlar o que são processos complexos, múltiplos e evolutivos. O nosso trabalho é saltar as valas e cruzar os campos.

41. Ri-te
As pessoas que visitam o nosso studio comentam com frequência o muito que nos rimos. Desde que me dei conta, utilizo-o como barómetro do conforto que sentimos.

42. Recorda
O crescimento só é possivel como um resultado da história. Sem a memória da inovação é meramente uma novidade. A hsitória dá uma direcção do crescimento. Mas a memória nunca é perfeita. Cada memória é uma imagem degradada ou mesclada de momentos ou sucessos prévios. Isto, é o que nos faz conscientes da sua qualidade como passado e não como presente. O que significa que cada memória é nova, uma reconstrução parcial da sua origem, e como tal potente para crescer por si mesma.

43. Poder para as pessoas
O jogo só pode dar-se quando as pessoas sentem que tem o controlo sobre as suas vidas. Não podemos ser agentes da liberdade se não somos livres.

6 comentários:

Silvio disse...

não consigo escolher o meu favorito, mas alguns eu costumo seguir sempre.
25, 37, 39 e 41.

e vc???

Valéria Fialho disse...

caramba ! isto que é quarta feira feliz e densa ! mestre silvio yoda mandou muito bem !
- eu achei todos os "conselhos" pertinentíssimos ... coisa de quem sabe e gosta do que faz !
agora, meu tópico preferido , sem dúvida nenhuma é o 41 : sem o riso e humor não chegamos a lugar nenhum ... se levar a sério demais é colocar o peso de um mundo (que não é seu) nas costas
- quanto ao número 4 ( amar o que se faz) este é indiscutível ... não deveria ser conselho, deveria ser premissa ...

serafini disse...

Olha só!
3, 4, 18, 24, 31 e 34.

Mas acho que a cada 10 itens deveria ter uma foto de put*ri@.

Betão Fialho disse...

concordo com o falvião, esse negócio de ficar lendo um texto tão comprido sem um refresco no meio é complicado...sei lá, talvez umas fotos de umas pistoleiras pudessem estimular a leitura, quanto ao meu preferido, vou no 41.

Betão Fialho disse...

ah. silvião ficou faltando um:
"tu te tornas eternamente responsável por aquilo que caitvas"
ahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahah

Valéria Fialho disse...

eu acho que quem escreveu este texto foi a portuguesa ... hehehe