segunda-feira, 28 de julho de 2008

Nosferatu !

Esta semana vou postar "monstros do cinema" ... 1 por dia (ou até mais, dependendo do meu coeficiente de vagabundagem - e desconsolo - nesta última semana de férias escolares) ... Então, vamos começar do começo !
.
Nosferatu de F. W. Murnau com Max Schreck no papel título (1922). O filme é PB, mudo, mas é um clássico e tem um visual (expressionista) sinistríssimo (e que inclusive envelheceu com muita dignidade ... acredito que até hoje o cinema bebe desta fonte).

O filme é totalmente inspirado no drácula de Bram Stoker mas por questões de direitos autorias acabou adotando Nosferatu como título e tem algumas modificações mínimas no enredo ( só pra evitar processos).

A caracterização do vampiro é fantástica, assim como a iluminação, a ambientação e a direção de arte(com um jogo de luzes e sombras impressionante) .

Em 1979, Werner Herzog fez sua versão da estória (totalmente inspirada por Murnau) com Klaus Kinski como o vampiro e Isabelle Adjani como Lucy ( que na verdade era o personagem Mina que teve seu nome alterado).

A interpretação do Kinski também é bem bacana (e ele também é outro esquisitão de carteirinha):

E, finalmente, em 2000, Elias Merhige dirigiu um filme bem interessante contando a história das filmagens do clássico de Murnau (A Sombra do Vampiro), com Willem Dafoe no papel de Schreck e John Malkovich como Murnau. O filme parte da premissa-lenda de que o ator do filme original era realmente um vampiro ! ( imagina o que o cara não devia ser esquisitão).

A reconstituição de época é muito bem feita e o Willem, pra variar, se dá muito bem no papel de um tipo, digamos, esquisito ( ou maluco).
Vale a pena conferir os 3 filmes, mas já vou avisando que requer uma certa paciência porque todos são produções autorais (e bem cabecinhas). Minha sugestão: comece com estes e depois mergulhe na versão de Francis Ford Coppola de 1992 (que obviamente será tema de uma postagem futura).
.
Para mais informações:
.
E aproveite a inspiração para criar seu próprio monstro !

3 comentários:

Betão Fialho disse...

Ontem assistimos o Drácula de 1961 com Bela Lugosi. O filme tem uma importância histórica inegável, mas não sei se isso acontece só comigo ou se é um problema de velocidade, mas o coisinha arrastada e quando você acha que o pau vai comer o filme acaba! Eu sei que temos que respeitar o significado de um filme como este para a hsitória do cinema, mas eu prefiro o Drácula do Coppola. QUanto ao Nosferatu, o post da Valéria está muito bom, é isso aí mesmo, três grandes esquisitões que fizeram o personagem em três épocas distintas, todos com muito competência, ou esquisitice, sei lá!

Léo Lousada disse...

Eu lembro que na época em que saiu o filme com o William "Eliah" DaFoe eu li alguns artigos contando histórias da primeira filmagem e você quase acredita que o Max Schreck era um vampiro de verdade, tamanha era a esquisitisse dele. Ele era daqueles atores que viviam o personagem 100% do dia. Muito bom o post.

Alexandre Grazzini disse...

olha um que eu lembro que era muito bizarro/engraçado/esquisito era "A Dança dos Vampiros" (The Fearless Vampire Killers - 1967), do Polanski... Eu vi na globo, em algum sábado a noite que meus pais saíram pra jantar e que eu deveria estar dormindo... Fiquei sem dormir, lógico!